sexta-feira, 10 de março de 2017

SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL REALIZA COM ÊXITO SEMINÁRIO MUNICIPAL PELOS DIREITOS DA MULHER.

Aconteceu na tarde de ontem, 09 de março, o Seminário Municipal pelos Direitos da Mulher, com o tema: “Da Violência à Emancipação”, que contou com a participação de representantes do Conselho de Direitos da Mulher de Natal, das Secretarias de Saúde, Esporte e Lazer e Assistência Social, e do poder Legislativo.
O Seminário teve início com a apresentação da Secretária Municipal de Assistência Social Marisa Rodrigues sobre os índices de violência doméstica do município, que tiveram um salto de denúncias em 2016. Por um lado, isso significa que as mulheres estão tendo coragem e apoio para denunciar seus agressores, por outro, mostra que a realidade da violência, principalmente a violência física e psicológica, ainda é uma constante na vida de muitas guamareenses. Durante a apresentação, a Secretária chegou a se emocionar com os depoimentos do público presente, composto pelos grupos de mulheres dos CRAS de Guamaré e Baixa do Meio e do CREAS. Como também destacou o Programa de Apoio a Mulher – PAM voltado para atender vítimas de violência doméstica coordenado pelo CREAS desde de 2015. O referido programa tem dentre seus objetivos fornecer a estas mulheres o conhecimento sobre os seus direitos e traçar estratégias para a superação da violação de direitos e promover a autonomia destas mulheres.
Assim, como assegura a Lei do SUAS Municipal 647/15 na letra “T” do artigo 91:

t) Atender mulheres que sofreram violência física, moral, social e psicológica na família, na escola, no trabalho, profissionalmente, nas relações sociais, com o poder público e nas relações humanas.
Em seguida, a Presidente do Conselho de Direitos da Mulher de Natal, Ildete Mendes, fez uma apresentação rica falando sobre o que era violência contra a mulher, os tipos de violência, e ressaltou diversas vezes que era impossível falar sobre este tema sem falar sobre gênero. Também falou um pouco sobre o 08 DE MARÇO, Dia Internacional de Luta pelos Direitos da Mulher, dizendo que a data era um momento para refletir sobre o preconceito e a discriminação que a mulher sofre simplesmente por ser mulher, que ela é criada para exercer o papel de cuidar de todos, menos de si mesma, o que muitas vezes a coloca em situações de violência.
Destacou também o papel do Conselho de Direito da Mulher, um espaço público que amplia vozes que muitas vezes são silenciadas pelo patriarcado, pelo machismo e violência. Disse que o perfil do Conselheiro deve ser de alguém com disponibilidade, autonomia, formação política e interesse pelos Direitos Humanos.
Ela finalizou a apresentação com uma frase no mínimo interessante: “Mulheres comportadas raramente fazem História”, e incentivou a todas as mulheres a serem menos comportadas, a lutarem pelos seus direitos, a terem coragem e levar até o fim as denúncias de violência. A última questão levantada pela senhora Ildete foi sobre a Lei Maria da Penha, que existe no país desde 2006. Encerrou suas palavras agradecendo o convite, se colocando a disposição e parabenizando a gestão pela iniciativa do evento e dos serviços estruturados pelo CREAS para o atendimento das mulheres vitimadas.
Ao retomar a palavra, a Secretária Marisa Rodrigues questionou o público sobre o aprendizado que elas levariam dali para frente. Nesse momento, muitas mulheres usaram esse espaço único para dar depoimentos sobre violência sofrida e de superação, apontando a atenção recebida pela Assistência Social como principal fator para vencer a realidade das agressões. “Mulher quando é agredida se sente frágil, mas tem que ser forte”, disse uma das usuárias, relatando que procurou o CREAS e teve toda ajuda necessária para superar tal realidade. Outra usuária relatou que passou onze anos sofrendo agressões do parceiro, até que um dia revidou e foi denunciada pela família dele.

Quando isso aconteceu, a Assistência Social interviu e pôde ajudá-la a se reerguer. Ela aprendeu que se tivesse denunciado antes, não teria sofrido por tanto tempo. Por fim, uma das usuárias usou o espaço simplesmente para agradecer à Secretária Marisa, por toda força e garra que ela tem para defender e priorizar os direitos dos usuários da Assistência, comparando-a com uma leoa. Agradeceu a competência da equipe técnica que sempre a orientava e incentivava, e estendeu os agradecimentos ao Prefeito Hélio.
Os vereadores Carlos Câmara e Lisete Negreiros, que estavam representando o poder legislativo, também teceram considerações. O vereador Carlos destacou que a Câmara estava presente para atender as demandas das mulheres e demais cidadão de Guamaré.
A Vereadora Lisete Negreiros destacou que pouco mais de 40% do legislativo guamareense era composto por mulheres, algo inédito no município, e disse que era uma ferrenha defensora dos direitos da Mulher na Câmara. Após dar um depoimento de violência doméstica na própria família, a vereadora deixou o recado: “Não baixem a cabeça. Nós somos tidas como sexo frágil, mas somos fortes”.
Finalizando os trabalhos do Seminário a Secretária Marisa Rodrigues encaminhou proposta de se estruturar em breve o Conselho Municipal da Mulher de Guamaré/RN, estávamos ali de forma coletiva e participativa plantando uma semente, passo decisivo para a defesa dos seus direitos e políticas públicas voltadas para as mulheres.



















Nenhum comentário: