quarta-feira, 10 de agosto de 2016

MILITARES DA FORÇA NACIONAL SÃO ATACADOS A TIROS NA MARÉ, RIO

Uma equipe da Força Nacional foi atacada a tiros nesta quarta-feira (10) no Conjunto de Favelas da Maré, na Zona Norte do Rio, ao entrar por engano na Vila do João. O ataque ocorreu na localidade conhecida como Boca do Papai. De acordo com as primeiras informações, um militar, baleado na cabeça, morreu e outro ficou ferido.

A Polícia Civil confirmou a morte de um dos militares vítimas do ataque. A identificação dele ainda não foi divulgada. Ele seria o motorista do carro da Força Nacional atacado, conforme sugeriu um dos militares envolvidos. Em áudio, ele contou que o motorista foi atingido na cabeça.
A Força Nacional foi designada pelo Ministério da Justiça e Cidadania para cuidar da segurança de todas as instalações de competições da Olimpíada e Paralimpíada do Rio. Ela é formada por policiais militares, civis, bombeiros e peritos.

Todos os agentes da Força Nacional passaram por vários cursos de capacitação e outros treinamentos. Eles são dos 26 estados e também do Distrito Federal. A formação começou há mais de um ano, em Brasília e a maior parte do contingente é formada por PMs.
Família do militar a caminho do Rio
O comandante-geral da PM em Roraima, coronel Dagoberto Gonçalves contou ao G1 que o soldado Hélio Andrade mora no Rio desde o ano passado.
A corporação comunicou à família dele o ocorrido. Os parentes se prontificaram a seguir para a capital fluminense.

"Já comunicamos a família do militar aqui no estado e alguém deve ir ao Rio de Janeiro para acompanhar o estado de saúde dele", disse Gonçalves, acrescentando que a Polícia Militar de Roraima está acompanhando toda a situação.
Mulher de capitão se diz abalada.
O capitão Alen Marcos Rodrigues Ferreira é um dos 180 policiais militares do Acre que foram enviados ao Rio de Janeiro para integrar a Força Nacional durante a Olimpíada. Ele é lotado oficialmente em Cruzeiro do Sul.

Embora tenha recebido informações de que, mesmo ferido, Ferreira está bem, a mulher dele, Lucélia Rocha, de 25 anos, disse ao G1 que está abalada com o ocorrido.

“A única informação que tenho é que ele está bem. Só sei disso. Ainda não consegui falar com ele”, disse Lucélia.

(***) Fonte e Imagens: G1.globo.com/rio

Nenhum comentário: